terça-feira, 24 de janeiro de 2012

"O que será que ela havia murmurado?"

Minha vontade era de gritar com ela., mas não o fiz.
Ela estava com um cheiro forte de vodka e com os olhos vermelhos. Usava uma roupa que não me lembrava nada 'ela', parecia ter vivido a pior noite da sua vida. Empurrei a porta do apartamento com um pé, equilibrando-me com o outro, enquanto segurava-a nos braços, pesava, cansava, estava sendo difícil. Sem querer acabei jogando-a no sofá de mal jeito e ela gritou, ai, apenas isso. Na geladeira peguei a garrafa com agua gelada e joguei em seu corpo, pensei que fosse reclamar, mas não, apenas me olhou como se fosse um animal, como se estivesse submissa.
Sentei-me, e fiquei ali na sua frente, coloquei minha cabeça entre minhas pernas e decidi esperar alguma explicação, nada. Ela continuou ali, recuada, com medo e sem se mover.
Faltava pouco pra amanhecer, levantei e caminhei em direção à porta sem me despedir, pude ouvi-la murmurar alguma coisa, mas tinha esperado tanto tempo que não quis voltar para compreender o que ela queria.
Minha vontade era de cuidar dela, protege-la. Nem tudo acontece como a gente quer. Abri a porta e fui embora, lembro-me de tudo como se fosse hoje, não ontem, mas hoje, lembro como se estivesse acontecido hoje, mas sei que não foi pois hoje estou aqui comendo uma merda de macarrão com sardinha, sentado nesse sofá velho, em frente ao seu convite de casamento. Éramos amigos, deixamos de nos falar, e nesse exato momento uma dúvida não sai da minha cabeça: "O que será que ela havia murmurado?", minha vontade era de ir até lá, ir até a igreja e olhar em seus olhos, pedir para que ela repetisse o que havia dito, o que ela havia dito e eu sempre impaciente não tive ânimo para ouvir naquele dia.
Depois daquele ocorrido não nos falamos mais, isso faz uns cinco anos, admito porém que nenhuma mulher me fez sentir o que ela fez, muito menos me fez esquece-la. Talvez seja essa coisa de amor, de gostar muito, esse tal de sentimento que a gente só sente uma vez na vida. Ainda tenho muita vida pela frente, ainda tenho muitos cinco anos pela frente. Mas de uma coisa eu tenho certeza, vai ter sempre uma pergunta que não vai sair da minha cabeça: "O que será que ela havia murmurado?".

Siga-me os bons: @quetadeia

53 comentários:

  1. Amar dói, gera insegurança... E é difícil sim ter paciência e equilíbrio para vivê-lo! Teus posts aquecem meu coração, doce Deia!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Pior do que sofrer por amor é nunca ter a chance de amar a pessoa certa e ainda pior saber que a pessoa que seria perfeita para você, agora está com outra pessoa. Acho que chance assim, só temos uma vez na vida!
    Beiijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou de pleno acordo, acho que sempre tem que haver amor, amor com a pessoa certa. Kiss!

      Excluir
  3. eu sempre fico pensando "o que ele murmurou?" e isso me faz perder a dignidade e chutar com os dois pés a porta do infeliz e gritar no ouvido dele QUE PORRA VOCÊ MURMUROU??? mas acontece é que geralmente eu que imaginei ter ouvido alguma coisa. Eu que criei o murmúrio na minha mente. Merda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho quea admitir que nem eu mesma separei esses dois lados, entre o ela ter ou não murmurado. Talvez tudo não tenha passado da imaginação e desejo de ter escutado algo.

      Excluir
  4. Ah, agora eu quero saber o que ela murmurou... Conta? Conta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah paju, gosto de deixar esse dùvida, você que me lê sabe, rs. (:

      Excluir
  5. Esses murmurios que não saem da nossa cabeça
    Alguns foram criados pela nossa mente
    E outros, os piores, os ambíguos, carrascos
    Com mil e um significados, mil e uma interpretações
    E cabe a nós decifrarmos esse murmurio,muitas vezes transfomando-os "naquilo que nós queríamos que a pessoa tivesse dito"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não deixa de ser verdade. Sempre há de ficar aquela pitada de duvida e insegurança. Obrigada por vir aqui sempre e comentar Nath. (:

      Excluir
  6. Uma simples ação (impensada) de ir embora naquele momento criou uma dúvida que vai ficar para sempre com ele. Talvez se ele tivesse voltado só teria descoberto que não passou da sua imaginação. E ele continuaria sem ela. Contudo, a sombra do " E se ?" iria deixar de existir.
    Gostei bastante do texto. Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francine, as vezes a duvida por ser melhor que a certeza. Nunca saberemos flor. Dois beijos!

      Excluir
  7. Quem sabe um dia saberemos afinal...
    Que saudade que eu tava daqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estava sentindo falta de postar também, e claro, das visitas de todos vocês. (:

      Excluir
  8. até eu fiquei curiosa... saudades daqui Deia, saudades de ti minha flor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudades gabs, daqui, do seu cantinho e de ler-te. Tirarei um tempo para dar uma passada por ler e ver o que ando perdendo. Beijo escritora. *-*

      Excluir
  9. Que delícia de post! Li esperando encontrar a resposta do murmurio, confesso, mas adorei a forma hábil com que foi escrito o conto. Bjs

    ResponderExcluir
  10. sigo*
    http://anacidade.blogspot.com/, este é o meu blog, passa por lá se e gostares segue, obrigada e desculpa o incomodo. (:

    ResponderExcluir
  11. Oi tudo bom? Então, é a minha primeira visita aqui no seu e poxa, estou adorando! Estou seguindo e voltarei mais vezes!

    Também tenho um blog, passa por lá? Te deixo o link dele:
    http://25conto.blogspot.com/

    Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Conto maravilhoso, nostalgia e cadência se misturando com a amargura do arrependimento.
    - Porque quando pelo menos uma possibilidade fica em aberto, ficam também os outros presentes que nós poderíamos estar vivendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Contos nos proporcionam tantas possibilidades, acho que por isso gosto tanto de escrevê-los. Grande beijo Bela.

      Excluir
  13. hum, gostei, até bateu uma fome de macarrão com sardinha... saudades do teu cantinho... em breve estarei aqui de novo! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flor, estava sentindo falta de você por aqui. Agora falta eu dar uma passado no teu cantinho, farei isso sem falta. (F)

      Excluir
  14. omg, amei o texto e fiquei na curiosidade sobre o que ela murmurou :)
    Bjus ;*

    ResponderExcluir
  15. Talvez ela tivesse murmurado que o amava,
    que não queria que passar por aquela porta.
    Adorei a história. Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez tenha sido isso, ou não. Esse talvez sempre deixa uma angustia. Que bom que gostou. Beijo.

      Excluir
  16. Certas atitudes geram sérias consequências lá na frente não é mesmo?! Mas não gera um amor esquecido! Beijos Deinha, ;*

    http://sabrinanunees.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Que texto mais lindo. Acredito nessa de que só amamos verdadeiramente alguém uma vez na vida, e que passe o tempo que for ela sempre estará em nós <3

    http://comoumrefugio.blogspot.com/
    bjs

    ResponderExcluir
  18. Olá, boa tarde. Somos do Projeto "Blogueiros Literários" e queremos juntar o máximo de blogueiros possíveis (dessa categoria) num só lugar. Teremos a cada semana um tema: Semana da poesia, semana dos contos e semana das crônicas, poemas e textos sentimentais. Não iremos divulgar uma frase ou algo assim e você fará seu texto em tese disso, nós apenas iremos divulgar o seu texto. Corre lá, ainda dá tempo, junte-se a nós para formamos uma rede literária. A inscrição está aberta até amanhã.

    Ah, ainda tem mais. Você concorre a uma semana de destaque: Blogueiro Destaque. Durante essa semana iremos fazer entrevistas, publicar textos, suas inspirações e tudo mais com o blogueiro vencedor. Passa lá?

    http://blogueirosliterarios.blogspot.com/2012/01/inscricoes-abertas.html

    ResponderExcluir
  19. exato. nós temos de ser aquilo que queremos ser e não aquilo que os outros querem que nós sejamos :)

    ResponderExcluir
  20. Ótimo conto, gostei imenso!
    São oportunidades que perdemos, e que poderião mudar a nossa vida!

    bjs:*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou flor! Essas duvidas que nos cercam ele levamos conosco por toda vida. Beijo!

      Excluir
  21. O arrependimento nessas horas que são terríveis, coisas no qual não podemos voltar atrás :/
    Beijos, e parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso nunca devemos deixar nada para trás. Valeu, beijo ari!

      Excluir
  22. Oi Deia, posso chamar assim?
    vi o link do seu blog no claramentes e resolvi visitar
    muito bom o texto, o anterior também ficou mara
    adorei sua escrito,beijinhos ^^

    http://leepryh.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. verdade, amamos uma vez e amamos muito *--*
    belo texto, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem vários tipos de amor, mas sempre vai haver um único e eterno. =)

      Excluir
  24. Nossa, deia, sempre que passo aqui me encho de nostalgia. Do começo ao fim esse texto lembrou uma coisa que aconteceu cmg.
    Incrivel, tão incrível que me pergunto: como não escrevi isso antes?! Parabéns, adoro seus escritos =)

    http://versosimpressos.blogspot.com/2012/02/dreads.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz em saber que acho isso do meu amar.go, gosto de suas visitas e comentários. E fico mais feliz ainda em saber que faço alguém sentir isso, essa coisa de “nossa”, rs. Beijo grande thais. *-*

      Excluir
  25. Olá!Gostei do seu blog e estou seguindo!Me siga também,sou nova e comentei a postar uma história!Se a interessar leia e comente :D
    Ficarei muito feliz
    Bjus
    http://mydesaire.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  26. Ela demora, mas sempre surpreende. Com esse dom de nos deixar assim imaginando o que houve, imaginando o que ela murmurou, você sempre escreve algo que é impossível de deixar pra lá, sempre é algo que fica na nossa cabeça o dia todo. Não tem nem muito o que dizer. E depois você diz que eu é que sou a escritora. haha Abraço de urso pra você.

    http://www.contosflordelis.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que você é escritora, a minha escritora senhorita Lis. Sabe que tenho disso né? Deixar as coisas no ar. *-* Obrigada por me acompanhar e sempre vir aqui, te deve visitas. Grande abraço, amiga de alma.

      Excluir
  27. =/
    Tem perguntas que ficam pra sempre sem resposta

    ResponderExcluir
  28. Eu deixei tantas pessoas que murmuravam para trás, e hoje me arrependo de não saber o que tinham dito.

    ResponderExcluir
  29. Deixar esses murmurinhos, esses sussurros para trás pode mudar completamente o rumo das nossas vidas. E lembrar que poderia ter sido diferente dói.
    Adorei o texto, vou seguir aqui com prazer e torno a visitar em breve!
    Beijinhos, G.
    http://www.2pitadasdesal.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  30. Olá Andreia, eu gostei tanto desse blog, e muito do post, você retratou um amor da queles que tira agente do chão, um amor verdadeiro porém meio fora da nossa percepção, mais agente ama assim uma vez só, depois os outros amores passam a ser mais saudáveis e a gente mais realista, achei o personagem muito do fofo kkkkk ele se importava mesmo com a garota, enfim adorei tuuuudo, e estou seguindo, se puderes me visitar ficarei grata:
    http://fazdecontatxt.blogspot.com

    ResponderExcluir
  31. Mesmo com tudo que possa acontecer, as dores que possam surgir, amar vale apena.

    O que acha de ganhar um livro num Super Sorteio? Confira:
    http://iasmincruz.blogspot.com/2012/02/super-sorteio.html

    ResponderExcluir

"Venha quando quiser: – Tem espaço na casa e no coração."