sábado, 29 de outubro de 2011

O que acontece e nunca desaparece [parte 2]

Mary, sempre ansiosa, sentou no chão, próxima a porta, quase onde a poça de água formada pela chuva estava, pediu para que Charlie se sentasse na cadeira, mas para surpresa dela ele sentou no chão, ao seu lado.
- Não vai se secar? - Ele disse querendo puxar outro assunto.
- Não, estou bem assim... Mas... E você? Não sabia que estava na cidade.
- Pois eu não estava, cheguei poucos minutos antes de te ver passando apuros com as roupas lá fora. - Sorriu.
- Eu não estava passando apuros - bufou, mas o que veio fazer aqui? Trabalho?
- Na verdade... - encarando a xícara, Charlie sabia que não tinha o direito de questionar nada, nem ao menos perguntar, ou pressioná-lo a fim de recuperar um tempo perdido - Sim, a trabalho, mas pretendo ir embora hoje mesmo.
- Sei, e desde quando espionar o quintal da minha casa faz parte do seu trabalho? - Jogou.
- Bom, é que hoje sendo o dia que é, quis também revê-la.
- Sabe, nos últimos dez anos, existiram dez dias como esses de hoje, dez dias em que eu pensei em você e fiz um café forte. Nos últimos dez anos eu pensei em tudo que eu teria para lhe falar se você aparecesse, e agora que você apareceu eu descubro que não tenho nada a lhe dizer...
De cabeça baixa e com a barba ainda pingando a agua da chuva, Charlie levantou a cabeça e a olhou nos olhos, tirando de dentro de si um peso que carregava e que mesmo sem saber iria lhe fazer um bem danado.
- Eu não apareci nos últimos dez anos, mas eu pensei em você todos os dias como estes. Eu não apareci pra você nos últimos dez anos, mas também não apareci pra ninguém, não quis ninguém e ainda não quero ninguém. Eu não apareci nos últimos dez anos, por falta de coragem, porque eu escrevi umas cinquenta cartas, se é que foram apenas cinquenta, e não lhe enviei nenhuma delas. Eu pensei em você nos últimos dez anos, e o que você fez? - Parou e engolindo a seco uma lágrima, bebeu um grande gole do café.
- O que eu fiz? - Mary não tinha saco para discutir, nunca teve e não gostava de fazê-lo, discutir e 'falar sobre' era coisa do Charlie, sempre ele começava e mais uma vez estava ele lá, depois de dez anos, apareceu do nada, como se nada tivesse acontecido, pedindo explicações e querendo saber o que ela havia feito. - O que eu fiz? Eu sobrevivi sem você, isso, apenas sobrevivi, porque viver é outra coisa, viver é estar com quem a gente sabe que sempre vai amar. Eu sobrevivi sem você e fui fazer alguém viver, alguém que não me deixou e sumiu, alguém que está comigo há quase dez anos, justamente os quase dez anos que você não deu notícias, veja como são as coisas...
Aquela discussão estava ficando insustentável para os dois, então, sem saber se foi por vontade de rir ou apenas por nervosismos, ambos se olharam e estavam gargalhando. Uma gargalhada que vinha de dentro e ecoava por toda cozinha. A chuva cessou e com a xícara de café finalmente vazia, Charlie colocou sua mão sobre a mão de Mary que estava em cima de sua perna e sorriu. Sorriu e ela sorriu de volta. Ambos sabiam que isso deveria ter acontecido há quase dez anos atrás... Mas eles também sabiam que aquele negócio do 'antes tarde do que nunca' também é muito verdade e eles estavam leves.
Muitos amores acontecem.
Muitos amores acontecem, mas tem aqueles que a gente guarda as melhores coisas, guarda as coisas que o tempo não leva e um simples café forte faz recordar.
Sem falar sobre o que passou, eles apenas se despediram com cordialidade, escondendo lágrimas que insistiam em descer e se misturar com a chuva que mesmo fina ainda caia. Sabiam que não se veriam mais, mas eles também sabia que muitos amores acontecem, mas nenhuma amor desaparece.


Segunda e última parte.
Siga-me os bons: @quetadeia

21 comentários:

  1. Eu sei que ficou meio 'nada haver', mas acho que a idéia era exatamente essa, ficar assim, no ar.

    ResponderExcluir
  2. bem criativo o texto,
    ficou interessante a leitura, bem dinâmica
    gostei
    Parabéns pela postagem !!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. A internet te deixou postar hein doce? Rs.
    Eu gostei muito, porque de certa forma, fugiu do casual, da ideia de que todas histórias terminam com um beijo, com um carinho. As lágrimas nesse caso demonstraram amor muito bem.
    Beijos linda. s2

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do teu blog é giro
    Visita o meu Frasezemoda.blogspot.com
    Espero k gostes bjinhos <3
    SIGO :)

    ResponderExcluir
  5. taaanta coisa acontece nao é?
    e isso é tão relativo
    a questão toda é decidir o que fica e o que esvai

    ResponderExcluir
  6. oieeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee tudo bem? eu gostei do seu blogger. Visite o meu blog coisa legal, tem emoticons, texto de amor, frases, texto colorido para orkut, ascii de desenhos, template blog, curso árabe grátis, curso de coreano, nome japonês, noticia de asteróide sobre a terra no mês de novembro 2011 etc...

    Espero que você seja meu seguidor no blog, tem bastante coisa legal.

    http://www.legal2345.blogspot.com

    Siga o meu blogger

    ResponderExcluir
  7. Lindo o texto, me deixou sem palavras.
    Representou o amor muito bem, quisera eu o representar dessa maneira, simples e completo.
    Au revoir... ^^

    ResponderExcluir
  8. É difícil conseguir prender alguém em um texto - sem tornar a leitura cansativa e você conseguiu isso.

    Amei, amei e amei.

    "vamos guardar sempre as melhores coisas do amor!"

    *2 novos textos no meu blog.

    ResponderExcluir
  9. Ouvi dizer uma vez que todos os amores são eternos, acho que é exatamente isso.

    ResponderExcluir
  10. amei.
    mas preciso ler a parte 1 ainda. :/

    ResponderExcluir
  11. Adorei! Esse "deixar no ar" instiga o leitor e deixa um gostinho de quero mais! Já disse que adoro os teus diálogos, né?

    Beijo

    ResponderExcluir
  12. ' nenhum amor desaparece ' , nem seu talento pra nos contar histórias belas. (;

    ResponderExcluir
  13. Nossa! O último parágrafo está incrível! adorei o texto! te seguindo! :) beijooos

    ResponderExcluir
  14. Oi Deia, vim aqui lhe agradecer pela sua presença lá no meu blog, estou sempre por aqui também, amo teu espaço, vim também lhe avisar que tem selinho pra você, beijos

    http://oamorhadevencer.blogspot.com/p/selos_07.html

    ResponderExcluir
  15. Que palavras mais lindas!
    Adorei tudo por aqui;D

    ResponderExcluir
  16. Curto muitoo teus contos!

    saudades. Beijoos ♥

    ResponderExcluir
  17. Mais um belíssimo texto. Adoro teu blog.
    Estou seguindo. Parabéns :)

    Se der da uma passadinha no meu e segue de volta?
    http://julianabraz.blogspot.com/

    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Preciso dizer que ficou incrível De? Você tem muito talento viu? Não pare de escrever nunca moça.

    postagem de um ano do Nova perspectiva agradecendo aos meus mais queridos amigos blogueiros, você está lá, corra pra ver.
    http://denovomaisumavez.blogspot.com/2011/11/um-ano-de-nova-perspectiva.html

    ResponderExcluir
  19. Preciso ler tudo na integra ... guenta ai!

    ResponderExcluir
  20. Seus textos são incríveis XD Fiquei emocionada, porque de uma certa forma todo mundo já passou por isso. O que fazer quando aquele amor vai embora? Temos que seguir por mais difícil que seja, já estou te seguindo. Virei sua fã. BEIJOS :D

    ResponderExcluir

"Venha quando quiser: – Tem espaço na casa e no coração."