sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Era a faixa 34


Estava de meias quando abriu a porta, um moletom cinza e os cabelos presos, alguns fios caídos, como sempre, o que fazia com que ela ficasse aparentemente ainda mais largada, consequentemente, mas bonita. Não disse nada, ficou me olhando como se esperasse que eu falasse alguma coisa, o que seria lógico, pois fui eu quem bati a porta de sua casa, eu sei que era cedo demais pra bater na porta de alguém em pleno domingo, não que eu não tenha bons modo, minha mãe me ensinou muita coisa. Sabia que ela havia chegado tarde em casa, deveria estar contando até dez antes de bater com a porta de madeira na minha cara.
- Quer entrar?
- Não, na verdade acho que sim. Posso?
Deu uns passos para trás abrindo mais a porta e estendendo a mão fazendo sinal para eu entrar, nada estava muito diferente do normal, no carpete da sala alguns livros abertos, no sofá duas almofadas de estampa florida, o celular estava ao lado do som. 34, era este o número da música que ela estava ouvindo até antes da minha chegada, ou na noite anterior, ou há muito tempo atrás, não importa. Enquanto eu observava tudo na sala ela voltou da cozinha, onde eu nem sequer sabia que ela havia ido, com duas canecas cheias de leite com toddy.
- Não vai recusar, não é?
- Jamais. - o que posso fazer se ela me conhecia como ninguém?
Quis saber onde ela havia ido à noite anterior, o que fez, o que andou fazendo, mas certamente ela iria desconversar, tinha sempre um plano A para essas horas, e se não funcionasse, com toda certeza ela teria um plano B.
- Senta ai.
Lá estava ela, sentada no sofá, com as pernas cruzadas e uma das almofadas sobre elas.
- Como tem passado? - me perguntou.
- Andei sentindo falta.
- Eu também.
- Andou sentindo falta de mim? - encolhi.
- Não sei, andei apenas sentindo falta.
Pelas minhas contas - ok, não sou muito bom em contas - a gente não se via há umas duas semanas, quando digo a gente não se via me refiro a não darmos de cara um com o outro, mas eu sempre a via, diferente dela  que não dava a mínima pra mim, eu a procurava, queria saber como ela estava e se tinha encontrado outra pessoa.
- Mas e você, parece que tem estudado muito... - disse olhando para os livros no carpete.
- Um pouco, tem sido difícil me concentrar.
[Silêncio]
- Estava dormindo?
- Não, acordei tem algum tempo, estava ouvindo música.
Fiquei com muita vontade de saber que música ela estava ouvindo, qual era a música da faixa 34, mas me contive bebendo uns goles do achocolatado.
- Você andou sumido, não é? Muito trabalho? - ela parecia realmente interessada.
- É, na verdade também tem sido difícil me concentrar, mas você também sumiu bastante.
- Sim, talvez nós dois tenhamos sumido.
- Não era isso que eu queria.
- Nem eu.
Podia jurar que seus olhos estavam cheios, não quis arriscar a tocá-la, muito menos abraçá-la, esperei por mais alguma coisa, algum sinal. Terminei de tomar o leite e a única coisa que ela disse foi:
- Quer mais?
Nenhuma brecha. Acho que é hora de ir embora.
- Não, acho que já vou indo.
- Mas já? - eu queria ouvi-lá dizer que não, que não era pra eu ir, queria ter sentido algum sinal, alguma dica do que fazer, mas ela se calou.
- Aham, se cuide.
Levantei, coloquei a caneca vazia no braço do sofá e caminhei até a porta. Ela simplesmente abriu e quando eu estava saindo passou a mão no meu braço, eu poderia jurar que ela iria me puxar par dentro da sala, ou algo assim, mas disse:
- Se cuide também. - sorriu.
Quando ela fechou a porta eu não consegui ir embora, encostei ali mesmo e pude ouvi-la encostar do outro lado, quase senti seu corpo contra o meu.
*Do outro lado, na sala*
Eu queria ouvi-lo dizer que iria ficar, queria ter sentido algum sinal, alguma dica do que fazer, mas ele simplesmente atravessou a porta. Pelas minhas contas - e olha que eu sou ótima com contas - a gente não se via há umas duas semanas, quando digo a gente não se via me refiro a não darmos de cara um com o outro, mas eu sempre o via, diferente dele  que não dava a mínima pra mim, eu o procurava, queria saber como ele estava e se tinha encontrado outra pessoa. Ele nem ao menos reparou na música que eu estava ouvindo, na nossa música, o som estava ali, na faixa 34, e ele nem se ligou com isso.
*De volta ao lado de fora da casa*
Acho que é hora de ir embora, segui toda a rua pensando nela e nos sinais que não recebi. Peguei meu celular e coloquei o fone de ouvido, a reprodução de músicas do mp3 estava no aleatório e de repente quando estava chegando em casa nossa música começou a tocar, olhei para a tela do celular e lá estava, era a faixa 34. Ela estava ouvindo nossa música, talvez esse tenha sido o sinal.

                                                                                              deia.s

P.s.: Como é difícil encontrar imagens que entrem no contexto.
Agradeço quem teve a coragem de ler - rs =)

45 comentários:

  1. Coragem pra ler? Tá perfeito Deia!
    Esses sinais que a vida nos envia e a gente deixa passar despercebidos quase sempre, deixando as oportunidades passarem juntas.
    Queria que ele tivesse voltado correndo quando viu a identificação da música no visor: Faixa 34.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  2. Me surpreendeu mesmo!Todo esse desencontro e sentimento reprimido com medo de ser colocado para fora foi tão real, pois é assim mesmo que acontece, quando falamos nos decepcionamos e então deixamos de falar por um bom tempo e perdemos inúmeras chances.
    Se um dia você estiver inspirada uma continuação ia ser bem vinda! Hahaha!

    ResponderExcluir
  3. Meninas, que bom saber que vocês leram e gostaram! *-*
    Pois sim Isabela, quem sabe não apareça uma continuação um dia haha

    kiss sweet x)

    ResponderExcluir
  4. são os mais felizes mesmo e nunca os devemos deixar ir (:

    ResponderExcluir
  5. Coragem de ler? A única coragem necessária aqui é a de aguentar tantos desencontros causados por nós mesmos e pelo medo de reações e sentimentos desconhecidos...
    Adorei o texto e o blog. *-* Já estou seguindo! =)

    ResponderExcluir
  6. Boa noite...ele queria ela...ela queria ele...mas os dois sao seres humanos, teimosos, orgulhosos e se tiver continuação, irão sofrer por mais um tempo ate quem sabe, chegar num final feliz ou nao...Amei, simples, bonito e de acordo com tua idade, alias, bela idade que pra mim, ja ficou la atras...hoje sou mais direta...bjin e fique com DEUS!

    ResponderExcluir
  7. Quem resiste a uma caneca cheia de leite com toddy ? Aii como eu queria que alguém ao meu lado também estivesse ouvindo a faixa 34 da nossa historia . #perfeito.

    abraço meu .

    ResponderExcluir
  8. E triste de ver que as vezes deixamos passar despercebidos os sinais que tanto procurávamos!

    http://flavinhasilva02.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. quanto desencontro

    não se precisa de coragem para ler bons blog
    s boas historias
    coisas no qual a gente se reconhece

    quero ouvir a faixa 17 do meu celular
    abraços

    bom mesmo
    talentoooo

    ResponderExcluir
  10. Que coisa mais linda Deia *-*
    O amor é realmente inacreditável! De tanto amar, eles acabaram esquecendo de olhar um para o sentimento do outro, contentando-se em acreditar apenas nas próprias convicções, que pena :/
    Beijos docinho!

    ResponderExcluir
  11. Esqueci, rs. Como ficou linda a abertura (:

    ResponderExcluir
  12. Lindo, lindo, liiindo! Deu vontade de chorar e de sorrir. Quanta sensibilidade, quantos detalhes lindos!
    Também gostaria de ler uma continuação, aqui.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Menina, nem que fosse maior ainda, sempre tenho muito entusiasmo ao ler seus textos.
    Este, perfeito, muito mesmo.
    Adorei.
    Retrata um pouco o tenho sentido há um tempo.Quem sabe eu não tenha que fazer como as últimas linhas do texto?

    Mil bei-jos flor.

    ResponderExcluir
  14. Uau, que lindo *-*
    Desencontros de sentimentos sempre acontecem ;s
    Passa lá linda?
    http://jooymartins.blogspot.com/
    Beijoos

    ResponderExcluir
  15. Esses sinais do amor... sempre tão complicados de serem interpretados.
    Realmente é muito dificil achar imagens, mas mesmo assim, ficou lindo (:

    ResponderExcluir
  16. Com certeza não é amargo...
    Gostei daqui!

    ResponderExcluir
  17. Primeiramente,
    Obrigada você te ter escrito um texto tão belo.
    -
    Esses desencontros já acabaram comigo, mas ainda bem que o destino soprou ao meu favor ♥

    amei teu texto!

    ResponderExcluir
  18. Que lindo como sempre Deia. Encantador de fato! Faixa 34. ♫♪ Obrigada por ter passado no meu blog e ter tido a coragem de ler o post! Muito obrigada mesmo.

    http://www.contosflordelis.blogspot.com parte 2.

    ResponderExcluir
  19. que liiindo seu blog e seus textos , gostei mtmt
    seguindo aqui :*

    http://cafecomversosavulsos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Seus textos são lindos querida!
    Coloquei você na minha lista de sonhadores!
    Agente aprende com o tempo a lidar com o blog não é? uma das coisas que aprendi é que quando se tem a imagem, se chama muito mais a atenção, e então lendo um texto lindo como esse e sim a imagem ficou linda, merece todos parabéns, você traduz em palavras detalhes tão minimos que fazem tudo ficar lindo!
    Ótimo fim de semana!
    Deus abençoe
    http://asoonhadora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. amei aqui *-------* seguindo você fofa! bejin ;**

    ResponderExcluir
  22. Quanto desencontros ein flor, seu texto ta perfeito.

    "DE AMARGO ENTÃO SALGADO FICOU DOCE..."
    Daniel na cova dos leões .hehe
    Legião sempre presente
    bjs linda amiga tenha um bom fds
    :)

    andryelle.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Daniel na cova dos leões. *-*
    Legião sempre Dry. Bjo grande!

    ResponderExcluir
  24. amei *O* as vezes as pessoas são tão confusas, falta mais coragem. Essa gente é assim mesmo, complicada ao ultimo né.
    Bjus. Ah, adorei o novo cabeçalho *O*O*

    ResponderExcluir
  25. Porque a falta a gente não sente em vão, ela é sempre é causada!

    Beijo

    ResponderExcluir
  26. desde o começo oq mais me chamou a atenção no blog foi o nome: Amar-go e desde então nunca mais fui embora e vira e mexe me encontro por aqui, adoro qndo visita, qndo elogia e agora vai o meu pedido, vc autoriza que eu dê o nome Amar-go para um de meus próximos textos?

    ;*
    http://versosimpressos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  27. Ah deia que história mais linda!!!
    Muita coisa que está escrita aqui se assemelha muito há uma de minhas relações. No final das contas os dois esperavam sinais um do outro e sem perceber tais, desistimos por pensar que não havia mais o amor do outro lado, coisa que só depois de muito tempo foi esclarecida. Mas muitas vezes a falta de atitude, de coragem, de audácia nos leva a isso mesmo: a amargos e dolorosos enganos.

    ResponderExcluir
  28. Oi flor.
    passando de novo pra dizer que tem um selo pra você
    lá no meu cantinho.

    http://somdospassos.blogspot.com/
    Bei-jos

    ResponderExcluir
  29. Uma palavra "incrível", incrível como você soube unir os dois lados da sala nesse desencontros fatais do amor, parabéns ameiii!!!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  30. Os dois querem, poderiam falar o que estão sentindo, perguntar, que tal, qual a faixa 34, mas não... O amor é tão complicado, ai... E o texto tá mais do que lindo!!

    Um beijoo'o

    ResponderExcluir
  31. Olá, moça.
    Conheci seu blog, e estou gostando dele ;)

    Visite(siga): antimateriadonada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  32. Que lindo e triste o texto, e não preciso de coragem pra ler né? Sempre sei que vai valer a pena, adoro os seus textos. Me encontrei bastante nesse, acho que esse é o meu preferido. Lindo.
    beijos *-*

    ResponderExcluir
  33. Oi minha flor passando pra desejar uma ótima semana, dias lindos de sol, doces como tu, beijos meus, muita luz e paz sempre...

    ResponderExcluir
  34. Adorei !!!
    Ah, fica até chato vir aqui e falar sempre a mesma coisa. Mas eu adorei mesmo !!!

    E concordo com vc qdo disse no final q é difícil encontrar imagem que se encaixe no contexto!! rsrsrsrs

    Bjão!

    ResponderExcluir
  35. A gente tem que ficar atento a esses sinais, voltar atrás quando for preciso, e impedir que o outro vá embora quando a gente quer que ele fique. Muitoooo bom o conto, Deia =D. Beijos.

    ResponderExcluir
  36. Que texto explendido...
    Adorei, me vi nessa situação.
    Parabéns, está demais.
    Beijos

    ResponderExcluir
  37. Sinceramente estou me sentindo horrível ao final do conto. rsrs Eu não sei o efeito que causou, só me sinto mto mal.. o.o Tomei raiva de leite com 'toddy'(oia a propaganda!) agora. rsrs
    Adorei a temática (: e esse 'dueto' dos narradores/personagens ficou muito bom... rsrs

    Beijo amora-cor-de-rosa =*

    ResponderExcluir
  38. Sinais que muitas vezes nós perdemos de vista.. Belo texto, minha linda!

    uns beijinhos ;D

    ResponderExcluir
  39. fiquei bastante tempo sem entrar nos blogs, portanto, demorei pra ler. mas sim, foi lindo.

    ResponderExcluir
  40. Que fofo esses desencontro. Faixa 34
    ameii.

    ResponderExcluir

"Venha quando quiser: – Tem espaço na casa e no coração."